X

O hábito de fumar e a perda de audição

Você já conhece todos os prejuízos do cigarro ao seu organismo. Condições como câncer, doenças cardíacas e problemas respiratórios podem muitas vezes estar relacionados à uma vida fumando cigarros. Entretanto, como a maioria das pessoas, você provavelmente associa a perda de audição com a idade avançada ou exposição ao ruído, mas não sabe o risco de adquirir uma perda auditiva devido ao cigarro.

De acordo com um estudo realizado pelo jornal da Associação Médica Americana, 70% dos fumantes possuem mais risco de desenvolver uma perda de audição em comparação com um não-fumante (link em inglês). O estudo explica que quanto mais você fumar, e quanto maior for a intensidade deste hábito, maiores são as chances de você prejudicar sua audição.

A pesquisa também descobriu que as pessoas não-fumantes que vivem com fumantes e estão expostas à fumaça, têm quase duas vezes mais chance de desenvolver uma perda de audição. Então, o hábito de um fumar não apenas coloca a sua audição em risco, mas também quem está próximo dele. Ainda assim, apesar de todas as informações disponíveis sobre o risco de fumar, aproximadamente 36.5 milhões de adultos nos Estados Unidos fumam cigarro e 16 milhões deles possuem alguma doença relacionada ao cigarro (link em inglês). No Brasil, aproximadamente 18 milhões de adultos são fumantes.

Os químicos encontrados nos cigarros são ototóxicos.

Um químico ototóxico é qualquer substância prejudicial à orelha. Os danos causados podem ser temporários ou reversíveis dependendo dos níveis de exposição e outros fatores. A lista de químicos perigosos dos cigarros inclui os sequintes:

  • Arsênico
  • Amônia
  • Formaldeído
  • Cianeto de Hidrogênio
  • Nicotina

A nicotina diminui os níveis de oxigênio no sangue e comprime as veias sanguíneas pelo corpo. Esses efeitos também são prejudiciais à orelha interna, local onde as células ciliares sensoriais, vitais para conduzir os sons até o cérebro, residem. Se a falta de circulação sanguínea prejudicar ou destruir essas células, elas não podem ser restauradas assim como a audição perdida junto com elas.

Toxinas prejudiciais também podem causar danos aos neurotransmissores localizados em nosso cérebro que nos ajudam a interpretar os sons, afetando a habilidade de compreender a fala. O zumbido é outro resultado potencial do hábito de fumar, já que a nicotina contribui para o desenvolvimento de sons fantasma como “apitos” ou outros sons irritantes.

Preserve sua audição – pare de fumar

Os benefícios de largar o cigarro fazem maravilhas pela sua saúde. Os destaques abaixo mostram como seu corpo se recupera rapidamente após parar de fumar:

  • 12 horas: Os níveis de monóxido de carbono no organismo voltam ao normal, melhorando a oxigenação do sangue pelo corpo
  • 3 dias: Respirar torna-se uma tarefa mais fácil, e você sente uma melhora de energia
  • Entre semanas e alguns meses: Seus pulmões estão mais fortes e a circulação sanguínea melhorou. As chances de um ataque cardíaco diminuíram
  • 5 anos: As chances de um infarto são as mesmas dos não-fumantes. Você já reduziu pela metade as chances de desenvolver câncer de boca, garganta, esôfago e bexiga em comparação com quando era fumante.

Parar de fumar pode ser difícil, mas com a ajuda correta e motivação isso é possível. Comece a cuidar da sua saúde e audição ainda hoje, e proteja quem está perto de você. Se o hábito de fumar já afetou a sua audição, ou se está preocupado por se prejudicar indiretamente com a fumaça, procure um fonoaudiólogo.