X

O que um cuidador precisa saber sobre pacientes com perda auditiva



Ainda que a perda auditiva continue a afetar pessoas mais jovens, cidadãos idosos ainda têm a maior probabilidade. Aproximadamente um terço dos indivíduos entre 65 e 74 anos experienciam perda auditiva, enquanto o número chega a quase 50% para a faixa etária acima de 75 anos. E isso pode dificultar a comunicação destas pessoas com seus amigos, famílias e – se aplicável – seu cuidador.

Seja um cuidador profissional ou alguém tomando conta de um membro da família, uma relação saudável entre cuidador e paciente é a chave para oferecer suporte apropriado. Porém, se o paciente tem perda auditiva, pode ser difícil se comunicar com ele e isso leva a frustração e confusão. Se a perda auditiva não for diagnosticada ou tratada, o paciente poderá enfrentar maiores riscos à sua saúde física e mental.

Por exemplo, aqueles com perda auditiva têm três vezes mais chances de sofrer quedas devastadoras. A perda auditiva também pode ser sintoma de riscos mais sérios para a saúde, como uma doença cardiovascular ou diabetes. E não ouvir bem pode fazer as pessoas se sentirem isoladas e evitarem situações sociais para não precisar lutar para ouvir conversas.

Tratando pacientes com perda auditiva

Tendo em conta os riscos, é importante que os cuidadores não só reconheçam a perda de audição nas pessoas sob seus cuidados, mas também saibam como se comunicar com elas. Aqui estão algumas dicas para melhorar a comunicação:

  • Consiga sua atenção: Dependendo da severidade da perda auditiva do paciente, pode ser que ele não saiba que você está falando com ele, especialmente se tentar falar de outra sala ou se vocês não estiverem um de frente para o outro. Fazer contato físico ou visual te ajudará a conseguir sua atenção.
  • Diminua o ruído: Se tem muitos sons competindo pela atenção do paciente, pode ser difícil para eles te entenderem. Desligar a TV se não estiver sendo utilizada, conversar longe de aparelhos como geladeira ou lava-louças, e minimizar o ruído de fundo pode ajudar.
  • Ajuste sua voz: Quando alguém não consegue ouvir, pode ser natural aumentar o volume de sua voz e repetir o que você disse. Porém essa não é a melhor atitude a ser tomada, pois seu paciente pode achar que você está gritando com ele. Ao invés disso, tente falar mais devagar e claramente, articule e faça pausas entre as palavras.

Tomando conta da saúde auditiva

Em adição a adaptar a forma que você se comunica com seu paciente, você também pode planejar uma visita a um fonoaudiólogo. Ele vai poder avaliar a audição do paciente e determinar se existe algum risco de saúde oculto que pode estar causando a perda auditiva.

Ele também vai recomendar o melhor tratamento, como o uso de aparelhos auditivos. Ajudando pacientes a ouvir o mundo ao seu redor, os aparelhos auditivos podem melhorar a qualidade de vida. Melhor audição também reforça a relação entre paciente e cuidador, minimizando a frustração causada pela perda auditiva.