X
2019-03-01

Tags

Neste Dia Mundial da Audição, aprenda mais sobre como os os seus ouvidos funcionam e como cuidar da sua saúde auditiva.

Normalmente não damos muita importância aos nossos ouvidos. Não pensamos em como eles funcionam, ou que faríamos caso não escutássemos mais. Neste dia mundial da audição (3 de março), aprenda mais sobre os seus ouvidos, como prevenir danos a sua audição e o que fazer caso você comece a sofrer com a perda auditiva.

Ao escutar, captamos milhões de sons todos os dias. Mesmo aqueles que não registramos, são processados e classificados por nosso cérebro como ruído.

Para lembrar o dia mundial da audição, este artigo irá falar sobre a importância da sua audição, e como cuidar dela caso a perda auditiva venha a interferir.

Partes da orelha

Quando nos referimos aos ouvidos, muitas pessoas só pensam na parte que somos capazes de ver. Isso inclui a concha do ouvido, bem como o canal auditivo.

Entretanto, o ouvido consiste em muitas partes, que funcionam em conjunto para que possamos ouvir . Caso uma dessas partes não funcionar corretamente, sua audição será afetada.

O ouvido externo é composto pela aurícula (ouvido visível), pelo canal auditivo e o tímpano. Já o ouvido médio contém os ossículos. 

Estes são três pequenos ossos conhecidos como martelo, bigorna e estribo. A trompa de Eustáquio também está incluída no ouvido médio e ajuda a regular a pressão. 

Seu ouvido interno está localizado mais ao fundo: Ali estão a cóclea, assim como seu vestíbulo e os canais semicirculares. Agora que conhecemos as partes do ouvido, podemos começar a discutir como elas funcionam.

Como nós escutamos?

Nosso ouvido visível é especialmente projetado para canalizar o som para dentro do canal auditivo. A partir daí, as vibrações percorrem o canal auditivo e atingem a membrana timpânica, ou tímpano. O tímpano vibra e essas vibrações interagem com os ossículos. Os ossículos vibram, amplificando o som e enviando-o mais longe no ouvido em direção à cóclea.
A cóclea é um órgão em forma de espiral, cheio de fluido e revestido por pelos finos e microscópicos. 

Esses pelos convertem as vibrações em impulsos nervosos que podem ser processados. 

Finalmente, esses sinais são enviados através do nervo auditivo para o cérebro, onde são filtrados e registrados como som.
Assim como respirar ou bombear sangue, esse processo ocorre todos os dias, inclusive enquanto você está dormindo ou inconsciente. 

Se você já foi acordado por um som durante a noite, isso acontece porque seus ouvidos estão fazendo hora extra para mantê-lo seguro e alerta para perceber o que está ao seu redor.

Tipos de problemas auditivos

 Como a audição envolve muitas partes específicas, algumas coisas podem dar errado. 

Diferentes partes da audição podem falhar, deixando você incapaz de processar ou ouvir certos sons. 

Ruídos altos, velhice e até mesmo lesões cerebrais podem resultar em perda de audição. Essas perdas podem ser leves ou profundas.

Existem muitos tipos de problemas auditivos. Alguns deles são permanentes, enquanto outros podem ser resolvidos com intervenção médica. Invenções como aparelhos auditivos também podem aliviar a perda auditiva.

Antes de discutirmos o tratamento para a perda auditiva, vamos explorar os diferentes tipos de problemas auditivos:

 

  • Neuropatia auditiva. Condição na qual o nervo auditivo é afetado. Isso pode ser causado por vários fatores e afetar a audição de várias maneiras. Este é um problema com o cérebro e os nervos, não com os próprios ouvidos.
  • Perda de audição neurosensorial. Este é um problema com os pelos finos no interior da cóclea. Quando se desgastam ou se danificam, a capacidade de ouvir é afetada. Esta é a forma mais comum de perda auditiva, especialmente entre idosos e pessoas que frequentam ambientes ruidosos.
  • Perda auditiva condutiva. Isso ocorre quando há um bloqueio no ouvido médio. Esse bloqueio pode ser causado por fluido, um tumor ou cera de ouvido que abafa a transmissão de ondas sonoras do ouvido externo. Normalmente, o problema é resolvido depois que o bloqueio é removido.
  • Perda auditiva mista. Este não é necessariamente um tipo de perda auditiva, mas uma combinação de perda auditiva neurossensorial e perda auditiva condutiva. Onde a perda auditiva neurossensorial é permanente e a perda auditiva condutiva pode ser resolvida, aliviando a condição.
  • Zumbido. Isso não é uma condição, mas sim um sintoma de outro problema. O zumbido é causado por outros fatores, geralmente perda auditiva neurossensorial.

Causas da perda auditiva

Muitos casos de perda auditiva ocorrem no nascimento ou nos primeiros anos de vida. Estes são tipicamente genéticos, ou causados ​​por complicações durante a gravidez ou nascimento. Doenças como meningite, sarampo ou caxumba também podem causar perda auditiva. No entanto, muitas pessoas que sofrem perda auditiva mais tarde a experimentam devido a infecção ou exposição a longo prazo a sons extremos.

Hipertensão, diabetes e outras doenças também podem levar ao risco de perda auditiva.

 Se você está preocupado com sua audição neste Dia Mundial da Audição, a única maneira de evitar a perda auditiva é estar ciente do ambiente ao seu redor e evitar situações em que o volume possa se tornar prejudicial. 

Use protetores de ouvido se você trabalhar em um ambiente com som alto, como áreas de tiro, locais de construção e salas de concerto.
Se você ouve regularmente música alta nos alto-falantes ou nos fones de ouvido, considere diminuir o volume. 

Muitos jovens sofrem de perda auditiva e zumbido, devido à superexposição a música alta.

A importância dos testes auditivos

A única maneira de tratar a perda auditiva é reconhecendo-a e procurando por ajuda. No entanto, muitas pessoas convivem com perda auditiva por tanto tempo que elas não sabem que não a reconhece. O cérebro humano é extremamente bom em adaptação e ao longo do tempo acaba se ajustando para acomodar sua perda auditiva. No entanto, quanto mais tempo você passar sem tratamento, mais intensa será a condição.

Para evitar danos, você deve agir. Saber como o ouvido funciona é o primeiro passo para reconhecer os problemas caso eles venham a surgir. 

Faça testes auditivos com frequência e não hesite em falar com um fonoaudiólogo se achar que pode haver um problema em sua audição. 

Se você desenvolver alguma forma de perda auditiva, identificá-la logo no início pode evitar danos adicionais e evitar o estresse, problemas mentais e outros efeitos colaterais.
O dia mundial da Audição serve para que possamos nos conscientizar dos riscos e buscar prevenção. Que tal agendar um teste auditivo?